Ministério Publico do Estado de Mato Grosso

SANTO ANTÔNIO DE LEVERGER

Comunidade do Engenho Velho recebe projeto “Verde Rio”

por ANDRÉIA MEDEIROS

quinta-feira, 06 de junho de 2013, 16h37

A comunidade ribeirinha do Engenho Velho, localizada no município de Santo Antônio de Leverger, foi beneficiada nesta quinta-feira (7) pelo Projeto Verde Rio com o plantio de 200 mudas de árvores nativas. O Projeto, realizado pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso em parceria com diversas outras instituições, visa recuperar e preservar 100% das matas ciliares dos principais rios de Mato Grosso até 2020, trazendo benefícios não só aos ecossistemas locais, mas também à população. O plantio é uma forma de neutralizar a emissão de gás carbônico emitido pelas empresas na atmosfera.

Apresentações de danças típicas dos estudantes da Escola Municipal Antônio Ferreira com a participação dos moradores, autoridades e empresários apoiadores do projeto movimentaram a pacata comunidade. A população recebeu o projeto como a realização e de um sonho. Dona Iraci de Almeida Moreira de 62 anos, mora há 30 anos no Engenho Velho, e está ansiosa para que as árvores sejam replantadas na área que fica na frente da casa dela. “Há muitos anos levo meus filhos para plantarmos às margens do rio, mas a chuva leva tudo. Agora com a vinda do projeto, tenho fé que o desmoronamento vai parar”, declarou a moradora ribeirinha.

O “Verde Rio” vai passar por sete municípios que banham o rio Cuiabá, recuperando as áreas degradadas, evitando processos erosivos, adequando as construções e retirando a grande quantidade de lixo jogada no rio Cuiabá. “Só temos 28% de rede de esgoto em Cuiabá”, informou a promotora de Justiça do Meio Ambiente de Cuiabá Ana Luíza Peterlini. Situações como essa necessitam ser resolvidas emergencialmente. “Eu acredito que o envolvimento da comunidade, teremos excelentes resultados. A consciência das crianças de hoje é muito melhor que a nossa”, declarou a promotora de Justiça.

“Além de ser um projeto ambiental, buscamos o social também já que a comunidade é a responsável pelos cuidados da área plantada. Em troca, a associação dos moradores escolhe uma obra que vai beneficiar toda comunidade para ser desenvolvida como pagamento da preservação do plantio”, conforme explicou o presidente do Instituto Ação Verde, Carlos Avallone. Segundo Avallone, atualmente o Instituto Ação Verde conta com sete mantenedoras e tem o desafio de recuperar não só o rio Cuiabá, mas os oito maiores rios de Mato Grosso.

A professora Tatiana Aparecida Vidigal da Escola Municipal José Ferreira da Silva, em Santo Antônio de Leverger, levou os alunos da educação infantil para conhecer de perto a importância da preservação do meio ambiente. “O meio ambiente e a natureza precisam de cuidados. É isso que levamos para sala de aula, explicar o que cada um de nós podemos fazer para amenizar os danos do dia a dia”, disse a professora.

Victor de Salles Batista tem apenas 12 anos, estuda na Escola Estadual Faustino Dias de Amorim, na comunidade Varginha, e sabe bem da responsabilidade que tem quando o assunto é meio ambiente. “Não podemos cortar as árvores e poluir os rios. Eu faço a minha parte, e você precisa fazer a sua”, afirmou o jovem.

A cada dia o projeto vem conseguindo mais parceiros e ganhando força. No Engenho Velho, a ação foi apoiada pelo Rotary Club de Cuiabá, Instituto Canopus e Instituto PróUnim da Unimed Cuiabá. “Nossa meta é plantarmos 40 mil árvores nos estados em que atuamos, só em Mato Grosso, temos 18 mil mudas que serão distribuídas conforme a seleção do projeto”, disse o presidente do Instituto Canopus Paulo Henrique de Lima Borges. O instituto conta a participação de 5 mil voluntários.

Já o presidente do PróUnim, Paulo Brustolin, parabenizou o trabalho do Ministério Público, por meio da promotoria de Meio Ambiente, que tem buscado sustentabilidade para o futuro da humanidade. Em reconhecimento ao trabalho do MP, o presidente em exercício da Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (FIEMT) Edgar Teodoro Borges enalteceu a luta da instituição há pelo menos dez anos. “Víamos o Ministério Público caminhar sozinho em prol do Meio Ambiente, hoje presenciamos os parceiros agradecendo pelos trabalhos que estão sendo desenvolvidos. E quem agradece é a natureza e as futuras gerações”, declarou Edgar.

O prefeito do município de Santo Antônio de Leverger Valdir Ribeiro assumiu o cargo há cinco meses, e demonstrou emoção ao ver mais de 200 pessoas empenhadas por mudanças ambientais na comunidade Engenho Velho. “Já estamos cumprindo todas as exigências feitas pelo Ministério Público e o que vemos hoje aqui é o resultado concreto das parcerias”, salientou o prefeito.

O PROJETO VERDE RIO: Foi dividido respeitando os três biomas: Pantanal, Amazônia e Cerrado. O Instituto Ação Verde definiu o Rio Cuiabá como a primeira etapa do projeto, o Verde Rio Pantanal, que engloba os rios Cuiabá, Paraguai e São Lourenço.

Para o reflorestamento, as mudas estão sendo produzidas no Viveiro do próprio Instituto, localizado na região de Barranco Alto, município de Santo Antônio. As mudas são produzidas para distribuição gratuita aos participantes do projeto. O Projeto Verde Rio pretende mostrar ao mundo que, além de grande produtor de alimentos, Mato Grosso também é um grande protetor da natureza e do povo, e aqui o desenvolvimento econômico e social é grande aliado da preservação ambiental.

O plantio é executado pelos proprietários das áreas, porém todos recebem assistência técnica. Em todas as etapas do processo de recuperação, todos os plantios recebem manutenção por três anos e estes serviços são executados por uma equipe técnica do Instituto Ação Verde.

Compartilhe nas redes sociais
facebook twitter
topo