Ministério Publico do Estado de Mato Grosso

SÃO JOSÉ DOS QUATRO MARCOS

Prevenção Começa na Escola beneficia alunos das zonas urbana e rural

por ANA LUÍZA ANACHE

terça-feira, 08 de outubro de 2019, 15h00

Alunos da rede pública de ensino das zonas urbana e rural de São José dos Quatro Marcos (a 315km de Cuiabá) estão tendo um dia de aprendizado diferente nesta terça-feira (08). Reunidos no ginásio de esportes da Escola Municipal Vereador Evilásio Vasconcelos, eles participam de intervenções culturais sobre temas cada vez mais presentes não só no ambiente escolar como também no convívio social. Os estudantes recebem informações e orientações sobre destruição do patrimônio escolar, violência, abuso sexual, bullying e racismo. 

A iniciativa é do projeto “Prevenção Começa na Escola”, desenvolvido pela Procuradoria Especializada em Defesa da Criança e do Adolescente com objetivo de sensibilizar os alunos e toda a comunidade sobre práticas nocivas ao público infantojuvenil. Cerca de 1,3 mil alunos participam de quatro apresentações ao longo do dia, sendo duas por período. A ideia é propor uma grande reflexão na comunidade escolar e estimular o debate, de modo a reduzir a ocorrência dessas práticas e orientar sobre o que fazer e onde buscar ajuda. 

“O projeto está tendo muita aceitação na rede de ensino, pois, por meio de uma linguagem lúdica cultural, consegue transmitir de maneira simples, direta e objetiva uma mensagem orientativa e preventiva”, afirmou o procurador de Justiça titular da Especializada, Paulo Roberto Jorge do Prado, lembrando que o “Prevenção Começa na Escola” tem a parceria da Companhia Vostraz de Teatro. 

As atividades foram acompanhadas pelo promotor de Justiça Fábio Rogério de Souza Santanna Pinheiro. “A vinda do doutor Paulo Prado e da Cia Vostraz de teatro traz para a escola a discussão de importantes temas vivenciados pelas nossas crianças e  adolescentes, como o bullying e o assédio sexual no âmbito doméstico. Trazer essa mensagem de forma lúdica, para que o público entenda o recado de forma mais clara, é de grande sensibilidade. Às vezes uma palestra tradicional não consegue o efeito de uma apresentação cultural”, argumentou. 

Conforme o promotor, a maneira diferenciada de transmitir a mensagem facilita a compreensão, permitindo que os alunos possam identificar em si e também nos colegas  possíveis sofrimentos. “Eles são orientados a não internalizar e sim a denunciar e relatar às autoridades, para que sejam tomadas as providências cabíveis”, enfatizou. “O colega Fábio Pinheiro conseguiu mobilizar toda a rede, é um sucesso total”, acrescentou Paulo Prado. 

Lançado em 2018, o projeto já passou por Cuiabá, Água Boa, Alta Floresta, Alto Taquari, Araputanga, Barra do Garças, Cáceres, Diamantino, Itiquira, Juína, Primavera do Leste, Querência, Sinop, Sorriso, Tangará da Serra e Várzea Grande. Em novembro chegará às cidades de Vera e Feliz Natal. 

Galeria de imagens
Compartilhe nas redes sociais
facebook twitter
topo